11 de agosto de 2016

Resenha: A Rainha Vermelha

Título: A Rainha Vermelha
Série: A Rainha Vermelha (#1)
Autora: Victoria Aveyard
Ano de Lançamento: 2015
Páginas: 422
Editora: Seguinte

Sinopse: O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.


Minha Avaliação:

Resenha:  A sociedade é dividida em sangue prateado, pessoas ricas e com poderes, e vermelho, pobres que não possuem nenhum poder, tendo que servir aos prateados.

Mare Barrow é uma vermelha e rouba para sustentar sua família, não que ela se orgulhe disso.

Depois do "encontro" com o príncipe Cal, no qual Mare tenta roubá-lo sem saber quem ele é, ela começa a trabalhar no palácio. Está acontecendo um "concurso violento" que escolherá a garota mais poderosa para ser a noiva do príncipe Cal e, quando uma das participantes quase a mata, um poder dentro dela, que ela não sabia existir, é libertado.

Normalmente o rei mandaria que a matassem, por ser uma vermelha e ter poder, porém ele não pode fazer isso pois ela estava em uma arena com vários nobres  que assistiram a tudo. Então ele decide que ela se casará com seu filho mais novo, Maven, e terá que se tornar uma garota da nobreza. 

Ela tem que conseguir controlar esse poder antes desconhecido e ainda se ajustar a esse novo mundo, sem sua família e onde há muita traição, mentiras e um jogo de poder. E, ao adentrá-lo, ela descobre o quanto suas impressões sobre tudo por lá ser perfeito e maravilhoso está errado, principalmente depois de haver revoltas dos vermelhos, que se denominam Guarda Escarlate, atacando os prateados.

Além de tudo, ela também precisa aguentar a rainha, que não gosta nenhum pouco dela, e a noiva de Cal, que está sempre querendo matá-la. Assim, o príncipe Maven se torna um grande amigo e aliado, pois também não se encaixa nesse lugar e tem pensamentos parecidos com os dela.

A protagonista é uma garota boa, forte e decidida e os outros personagens da trama também foram bem construídos pela autora. O final é arrebatador e surpreendente, do tipo que você fica desnorteado e quer saber logo o que vai acontecer. 

E, apesar de ser uma história com palácios, reis e príncipes, não é focado em um romance como acontece em A Seleção e há muita ação e intrigas. Quem gosta de distopias como Jogos Vorazes e Guerra dos Tronos com certeza vai gostar desse livro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário