7 de março de 2016

Resenha: Retratos De Uma Vida

Titulo: Retratos De Uma Vida
Autora: Naty Rangel
Ano De Lançamento: 2015
Paginas: 236
Editora: Nova Terra

Sinopse: A nossa vida é feita de flashes. E fazemos uma coleção deles: bons, ruins, inesquecíveis e inesperados. E não é diferente para Jennifer, uma jovem aspirante a fotógrafa que sonhava em trabalhar para a maior revista do país. Só que alguns de seus registros não foram nada bons. A perda dos pais num acidente de carro, e a traição de um namorado com sua melhor amiga na adolescência, traumatizaram. Mas o tempo, e o irmão inseparável, deram a força que ela precisava para continuar, e em 8 anos essa fotógrafa alcançou a tão sonhada vaga na revista. Esse foi apenas o começo de uma sessão de flashes emocionantes.
Jennifer Torres estava prestes a conquistar a profissão dos seus sonhos... e o coração de alguém inesperável. Um romance com os melhores momentos ilustrados, para você não perder nenhum click.

A autora, Naty Rangel, é moradora do Rio de Janeiro, e viu no sucesso do seu livro nas plataformas online Wattpad, Widbook e Nyah, que ela tinha potencial para lançá-lo por uma editora. Fisgada pela Nova terra, também situada na cidade maravilhosa, ela almeja que o sucesso se concretize no papel para lançar a continuação dessa história de amor, já planejada.

Romance


Resenha: Aprecio muito os escritores nacionais e sei como é difícil ser reconhecido como escritor em um país que privilegia a literatura estrangeira, principalmente a americana. Já li vários livros nacionais de alto gabarito, mas esse não entra nessa lista. Vou dividir minha opinião em dois blocos: Pontos positivos e pontos negativos do livro.

* Pontos Positivos: é para um público mais adolescente; livro curto e de leitura rápida. O interessante é a abordagem homossexual que ela faz no livro, achei super bacana.

* Pontos Negativos: Contém muitos erros de concordância, ora é escrito em primeira pessoa, ora é escrito em terceira pessoa. É fato que no dia-a-dia não usamos o português corretamente, agora na escrita, principalmente de um livro, considero inadmissível não saber escrever. Fica óbvio que a revisão foi muito falha. Personagens com personalidade muito volúveis e dúbias,que se contradizem em vários momentos. Achei a protagonista muito "femme fatale", mas em alguns momentos extremamente fraca de personalidade e de postura. O drama/suspense inserido no livro achei muito fraco, raso mesmo. Outro fato que não gostei no livro é a questão de ela nomear os personagens pelo sobrenome. Sabemos que no Brasil não existe a cultura de chamar as pessoas pelo sobrenome e sim pelo primeiro nome. Achei essa colocação dela totalmente desnecessária e que não condiz com a nossa realidade. O único local onde se utiliza o sobrenome como nome é no exercito e como o enredo não se passa no exercito...

Como disse no inicio, é sempre bom valorizar escritores nacionais. Mas há certas coisas que fazem de um livro um bom livro, e essas coisas dependem do escritor exclusivamente, como ter um bom enredo, escrever e argumentar bem, permitir que outras pessoas leiam a obra antes de sua publicação e ouvir as criticas, fazendo os ajustes necessários. 

Se eu indico o livro? Bom, para quem gosta de leituras rasas e rápidas, esta ai uma dica!


12 comentários:

  1. Olá...
    Apesar de ter ficado encantada com a resenha, o desenrolar da estória não me atraiu muito não... Espero que a autora tenha a oportunidade de publicar esse livro em breve...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oi Sophia, gostei bastante da sinopse mesmo não sendo o tipo de livro que eu costumo ler, já coloquei na minha lista de leitura obrigada pela dica bjs.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Como sempre, adoro sua sinceridade, então não leria o livro.
    Não curto essas histórias 'rasas'.
    bjão

    ResponderExcluir
  4. Oieee. sabe eu não sou muito fã de mocinhos tradicionais, prefiro sempre o diferente.
    Mas sabe o que senti desse livro, ele facilmente poderia ser um filme. História para isso ele tem.
    Mocinho sofrendo para ficar com a mocinha, nada mais clichê e bonitinho.

    ResponderExcluir
  5. Bem a história me interessou, mesmo que o livro possua muitos pontos negativos me aventuraria pela leitura. Gostei da sua resenha e da sinceridade presente nela.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Sua resenha está incrível, super crítica e apontando os defeitos sem medo. Gosto muito disso, parabéns! O livro parece bacana para quem não sabe o que ler, mas acho que vou passar. Abraços ;)

    ResponderExcluir
  7. Não gosto quando tem muitos erros gramaticais, ortográficos e de concordância em livros, mesmo que o livro pudesse ser bom ele acaba se tornando ruim por causa dos erros. E também é horrível quando os personagens não tem personalidade ou são muito rasos
    Quando você falou de chamar pelo sobrenome eu pensei exatamente no que você disse, só os militares usam o sobrenome, e nem todos, eu estudei em escola militar e o nome de guerra de muitos meninos eram o sobrenome, mas normalmente mesmo, aqui no Brasil, a gente só chama pelo primeiro nome. Mesmo aquelas pessoas mais velhas, usamos senhor + o primeiro nome.
    É uma pena um livro brasileiro ser assim, pois também apoio bastante os livros nacionais, e muitos são maravilhosos.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  8. Já não tinha interesse em ler o livro pela sinopse e agora lendo a resenha tenho certeza, muito chato quando lemos um livro que contém erros, principalmente de gramática, isso é o cúmulo. Bem como é de ser esperar não me interessei para ler.

    ResponderExcluir
  9. Olá, Sophia.
    Infelizmente eu não me interessei pelo livro. Ele tem bem mais pontos negativos do que positivo. Concordo com você, no dia a dia, falamos bem errado, mas quando isso está em um livro, a coisa fica feia hehe. E não gosto de livros que alternam a narração. Eu apoio a literatura nacional, mas as de qualidade. Eu não leio um livro pela nacionalidade, e sim por gostar do que está escrito.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Esse não sei se leria, tem um jeito mais jovem e não sei se iria gostar. A história parece legal, apesar dos errinhos. Aborda temas interessantes e parece bom nesse aspecto. Mas passo, não chamou muita atenção =/

    ResponderExcluir
  11. Acredito que nós, enquanto leitores, blogueiros e resenhistas, devemos sempre incentivar a leitura, principalmente de autores nacionais, pois sabemos o quão difícil é ser reconhecido como um escritor de sucesso. Já li alguns nacionais que são excelentes (estou devendo resenha, mas prometo postar em breve, pois merecem!), mas quando o livro é muito clichê, ou contém erros ou são similares a livros estrangeiros de sucesso, caem e muito no meu conceito de livro bom. Acredito que sinceridade é diferente de critica negativa e meus pontos negativos não são para desestimular a escritora ou para fazer com que as pessoas não leiam seu livro, mas sim para que a escritora aprimore sua narrativa e que mais leitores se interessem e divulgue seu trabalho!

    ResponderExcluir
  12. Uma história interessante que gostaria de muito de ler, bem parecido com a realidade em que vivemos, cheio de autos e baixos, nada fantasioso. Bom, os erros de concordância, infelizmente é algo comum nos livros nacionais, que a algum tempo reparava bastante, hoje tento não ligar, mas fico triste que com o passar dos anos essas característica negativa não muda.

    ResponderExcluir