27 de dezembro de 2015

Resenha: Se Eu Ficar - Gayle Forman

Titulo: Se eu fica
Serie: Se eu ficar (#1)
Autor: Gayle Forman
Ano de Lançamento: 2013
Paginas: 224
Editora: Novo Conceito

Resumo: A última coisa de que Mia se lembra é a música. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.


Resenha: Mia tem 17 anos e é uma violoncelista muito talentosa. Seus pais são carinhosos, seu irmão mais novo – Teddy – é um doce, sua melhor amiga – Kim – é bastante fiel e seu lindo namorado – Adam – extremamente apaixonado.

Sua vida não tinha necessariamente nada de especial, mas era bastante boa, com planos e expectativas de um futuro brilhante. Só que tudo isso é interrompido quando, ao sair com a família, o carro em que estão sofre um terrível acidente.

Quando acha que tudo vai ficar bem, Mia descobre que está extremamente machucada, seus pais estão em situação ainda pior, e seu irmãozinho precisa de socorro urgente. Só que a parte mais esquisita é que ela não está sentindo nada… Simplesmente porque está acompanhando tudo o que aconteceu do lado de fora. Fora de seu corpo.



Anestesiada e suspensa entre a vida e a morte, tentando entender o que está acontecendo ao seu redor, Mia tem algumas horas para reavaliar sua vida, considerar seu futuro e decidir se quer desistir de tudo ou lutar para continuar viva.
Com delicadeza e sensibilidade, Gayle Forman nos conduz pela vida de Mia, com flash backs que nos mostram seu dia a dia e todos os fatos relevantes que ajudaram-na a ser a pessoa que é.

Intercalado ao passado, temos o relato do doloroso presente. Descobrimos a amplitude do sofrimento da família e dos amigos e da própria protagonista, dividida entre sobreviver ou desistir. É uma decisão difícil, quase impossível, e talvez ninguém devesse ter que tomá-la.

Descobrimos que a paixão de Mia pela música pode levá-la à Juilliard, mas que isso pode ser um problema para seu relacionamento, já que Adam é músico e sua banda está começando a fazer sucesso o suficiente para mantê-lo ocupado. Com o coração dividido, a jovem está determinada a seguir seu sonho, mas não consegue se imaginar abrindo mão de viver esse amor.

Na verdade, esse é o maior conflito na vida de Mia antes do acidente. Sua família não era perfeita, mas muito unida e amorosa. Tudo o mais parece bastante bom, inclusive os momentos de muita interação com sua melhor amiga – que, por pouco, não havia se tornado sua maior inimiga.


Além de Adam e Kim, vovô e vovó também são personagens determinantes para a escolha de Mia. Cada um a sua maneira expressa seu amor e carinho pela menina, ajudando-a ou tornando ainda mais difícil decidir. Apesar disso, no fim, ela está sozinha. Ela precisa escolher sozinha.

O problema com a história é que ela é superficial. O tema explorado é complexo e demais tão poucas páginas, o que acabou me decepcionando. Fiquei bastante tocada com o drama da protagonista e muitas cenas – especialmente as que envolvem o avô dela – deixaram meus olhos cheios d’água.

Acho que se o livro fosse mais longo seria mais envolvente. Apesar disso, considerei uma leitura bacana.

Apesar disso, estou muito curiosa para ler Para onde ela foi, que é a versão do fofo do Adam para tudo o que aconteceu, mas focando no que veio depois da decisão de Mia. Espero poder matar a curiosidade em breve.

É um livro que fala de morte e escolhas de forma não muito profunda, mas com clareza o suficiente para nos tocar. Recomendo.

2 comentários:

  1. tenho muita curiosidade para ler esse livro, e depois da resenha vou ler com certeza
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Sempre tive curiosidade de ler esse livro, mas nunca parei para ler de verdade. Acho q smp achei a história meio confusa e sei lá, não despertou meu interesse. Mas acho q vale pra um dia de leitura leve e descontraída, ne? Beijos!

    Primavera Constante

    ResponderExcluir