19 de agosto de 2015

RESENHA NÃO CONTE A NINGUÉM - HARLAN COBEN (com spoiler)

Livro: Não Conte a Ninguém
Autor: Harlan Coben
Páginas: 256
Editora: Arqueiro
Ano: 2001




Sinopse: Há oito anos, enquanto comemoravam o aniversário de seu primeiro beijo, o Dr. David Beck e sua esposa, Elizabeth, sofreram um terrível ataque. Ele foi golpeado e caiu no lago, inconsciente. Ela foi raptada e brutalmente assassinada por um serial killer. O caso volta à tona quando a polícia encontra dois corpos enterrados perto do local do crime, junto com o taco de beisebol usado para nocautear David. Ao mesmo tempo, o médico recebe um misterioso e-mail, que, aparentemente, só pode ter siso enviado por sua esposa. Esses novos fatos fazem ressurgir inúmeras perguntas sem resposta: Como David conseguiu sair do lago? Elizabeth está viva? E, se estiver, de quem era o corpo enterrado oito anos antes? Por que ela demorou tanto para entrar em contato com o marido?


Inicialmente você se depara com um segredo que o Dr. David Beck fica às turras para contar para sua amada esposa, Elizabeth Parker. Não preciso nem dizer que você se coça até a última página do livro para descobrir.

Não sei quanto a vocês, mas tive a impressão de que o livro te induz a colocar sempre em cheque a fidelidade de Elizabeth ou do próprio Dr. Beck. No início ele deixa claro que os dois sempre tiveram seus segredos muito bem escondidos e daí sua cabeça já maquina para o mal (pelo menos a minha). Ou ele foi infiel ou ela (pra daí, tardiamente, você descobrir que na verdade todo o segredo se dá sobre a morte de Brandon Scope e às suas sórdidas tramoias de angariar dinheiro). Elizabeth descobre que o cara é um picareta, apanha como um cão sem dono e desaparece no mundo achando que o marido morreu afogado. É, a vida da Elizabeth não foi nada fácil.

Não vi muita relevância do autor em apresentar a personagem Rebecca, amiga da mocinha, que só chega para atrapalhar o meio de campo e confundir nossa cabeça! Em dado momento ela deixa claro que não contou tudo o que sabia para o Dr. Beck por não querer vê-lo sofrer mais! Aí mais uma vez você imagina que a mulher era uma devassa. Essa foi uma forma inescrupulosa de confundir o leitor, porque ficou claro posteriormente que a mulher era uma santa de candura.

Mas vamos para outro ponto. Tyrene, apesar de no início sua ajuda ao Dr. Beck ter sido exclusivamente egoísta (e isso fica explícito quando ele diz que só o está ajudando porque o médico pode salvar a vida do filho), ele se mostra um verdadeiro amigo e isso não deixa de ser uma lição para nós. Às vezes temos uma mão estendida de onde menos esperamos. (Tapa na cara). Isso nos mostra que ninguém é 100% mau ou bom. Afinal, quem esperaria ajuda de um traficante de drogas?

Quanto aos outros fatos, foi uma jogada de mestre a ligação feita à morte do pai do Dr. Beck ao enredo, colocando novamente a família Scope e, para a surpresa geral, o pai de Elizabeth, Hoyt, à cena do crime. Achei o desfecho interessante e plausível, já que um pai desesperado faria qualquer coisa para proteger um filho e isso poderia acontecer a qualquer um. Aliás, proteger filho foi um ponto repetitivo, não acham? Scope, Hoyt, Tyrene! Todos se utilizaram do mesmo artifício para justificar seus atos.

Hoyt, apesar de seus pecados, sacrificou-se pela filha (ou achou que estivesse se sacrificando... eu ri quando li a última página kkkkkkkkk), mas confesso que quando descobri que ele era corrupto foi como um soco no estômago.

E daí o livro termina com a revelação bombástica de que na verdade o assassino de Brandon Scope é o nosso mocinho! Dr. Beck! O meu queixo caiu. Primeiro eu achei que o autor fosse esquecer o bendito segredo que ele apresenta nas primeiras linhas do livro e só conta na última página! Daí degustando cada capítulo você imagina que esse segredo pode ser de tudo, de uma pulada de cerca ao furto de sinal de tv a cabo. “Coisas sem muita importância”. 
No decorrer da história a coisa vai afunilando e você percebe que o segredo talvez não seja tão fútil como você pensava. E no final você descobre que o cara é o assassino! Na verdade o segredinho dele era o segredão do livro! (como assim?) Pois é, fiquei um pouquinho revoltssss também, mas foi exatamente assim que aconteceu.

Na verdade, o autor foi bem econômico, se assim posso dizer, em explicar essa parte. Um homem invade seu apartamento com uma faca, você o mata em legítima defesa, foge, e daí quando volta o corpo desaparece misteriosamente do chão da sua sala e você não faz nada pra tentar descobrir o que houve? Durante todo o livro você se enerva com um mocinho tão palerma para descobrir no fim que ele sabia “de tudo” “sem saber de nada”. Deu pra entender o trocadilho?

Depois da confissão do Dr. Beck fica difícil engolir que ele fosse tão ingênuo assim, a ponto de não ter ideia de que poderia ser vingança os motivos do que acontecera à esposa quando estavam no lago! Até uma criança teria ligado os fatos! Esse é o ponto negativo do livro pra mim.

Ah, e fala sério! Alguém achou normal um homem viver numa floresta por 30 anos? Achei essa parte surreal, mas vou ter que conviver com isso!


Até a próxima. ;)






5 comentários:

  1. Oi,
    Nunca li um livro do Harlan Coben, mas quero muito ler, começando pela série do Myron Bolitar. Muitos amigos me indicaram esse livro e não sei o porquê de ainda não ter lido. A sinopse me interessou bastante e tenho que confessar que como disse que a resenha tinha spoiler, não li ela toda, com medo de ler algum. Mas quero muito ler e espero que você tenha gostado.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. gostei dessa resenha, já conheço o autor mais não li nenhum de seus livros ainda, fiquei curiosa com esse já que é bem misterioso.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Thalita! Eu li esse livro tem um tempinho já e confesso que tive que voltar a página para ler novamente o final e ter certeza de que era aquilo mesmo que estava escrito ali rs. Espanto total! Foi meu primeiro livro do autor e gostei bastante. Desde então venho querendo ler outras obras dele, mas vou adiando e nada. É uma ótima leitura.

    ResponderExcluir
  4. Não li a resenha por conta do spoiler, desculpe-me. Mas li a sinopse e achei bem interessante. Possuo um livro do Harlan Coben aqui em minha estante, O Inocente. Então ele é especialista em suspense?! Goste.

    ResponderExcluir
  5. Oi Thalita!
    Concordo com você, achei bem surreal mesmo. Eu tenho uma xará literária *_*
    Eu nunca li nada da Harlan, mas também não sei se tenho vontade. Acho que vou deixar pra próxima.
    Beijos!!
    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir